BOLETIM
VACINAS
E NOVAS TECNOLOGIAS DE PREVENÇÃO - Nº 32
PUBLICAÇÃO DO GIV - GRUPO DE INCENTIVO À VIDA - Fevereiro de 2019
Edição mais recente
Boletim Vacinas e Novas Tecnologias de Prevenção Anti-HIV/AIDS - GIV

Versão Completa

Clique para abrir o
Boletim Vacinas em PDF.

Abrir

PrEP
Implementação no Brasil
O ESTADO DE IMPLEMENTAÇÃO DA PREP NO BRASIL

Em dezembro de 2017 foi iniciada a implementação da Profilaxia Pré-Exposição (PrEP) com a combinação dos medicamentos Tenofovir Disoproxil Fumarato (TDF) e Entricitabina (FTC). O Departamento de IST, Aids e Hepatites Virais (DIAHV) ficou responsável pela compra desta combinação.

Durante o III Seminário Nacional sobre Vacinas e Novas Tecnologias de Prevenção do HIV/AIDS (ver nota neste Boletim), a Dra. Clarissa Barros forneceu dados sobre o estado da implementação da PrEP de janeiro a setembro de 2018.

Desde 2013, o Ministério da Saúde co-financiou projetos de demonstração da PrEP para informar a política nacional de PrEP com evidências científicas consistentes.

Um estudo de custo-efetividade, em parceria com a Fiocruz e a Universidade de Harvard, mostrou que a PrEP é custo-efetiva no Brasil entre populações-chave.

Em 2018 iniciaram-se dois estudos de implementação, em parceria com UNITAID e Fiocruz (ImPrEP e PrEP Adolescentes).

A PrEP, segundo ela, vem num momento muito importante no Brasil, visto que não há uma redução dos novos casos de infecção, em algumas populações chave. A Dra. Clarissa Barros informou que o frasco do medicamento foi comprado por US$ 25, e há perspectiva de que a próxima compra seja efetuada por U$ 22. Há uma opção genérica aprovada pela Anvisa.

Critérios de elegibilidade à PrEP:

  • o usuário precisa ser HIV negativo e
  • pertencer a alguma população-chave (Gays/HSH; Trans; Trabalhadores e Trabalhadoras Sexuais; Parcerias Sorodiferentes) e
  • ter realizado sexo anal ou vaginal sem preservativo (últimos 6 meses) e/ou
  • ter usado repetidamente a PEP e/ou apresentar IST frequente
  • mais outras vulnerabilidades para infecção pelo HIV (uso de drogas, número de parceiros etc.).

O total de serviços de PrEP no Brasil até setembro de 2018 era de 65 serviços em 46 municípios de 27 estados do Brasil.

Quanto ao acesso, de janeiro a setembro de 2018, foram apurados os seguintes dados:

  • 5.712 entraram em PrEP;
  • 5.191 estão em PrEP (definição - pelo menos uma dispensa nos últimos 120 dias).

Destes:

  • 1.147 no 1º atendimento;
  • 1.819 no retorno de 30 dias;
  • 2.225 em acompanhamento clínico.

Quanto às populações que acessaram a PrEP, a Fig. 1 mostra a distribuição dos usuários por população.

Perfil dos usuários de PrEP no Brasil - populações
Fig. 1 | Perfil dos usuários - populações

A ocorrência de infecção sexualmente transmissível (IST) é monitorada durante a PrEP. Aqui a Fig. 2 mostra a proporção dos usuários que nos últimos 6 meses teve sintoma ou foi diagnosticado com alguma IST.

Ocorrência de infecção sexualmente transmissível (IST) durante a PrEP.
Fig. 2 | Tem ou teve algum sintoma ou foi diagnosticado com alguma IST?

Atualmente, o desafio é fazer com que a PrEP chegue a quem mais pode se beneficiar dela e esteja em maior risco de contrair o HIV: indivíduos de baixa renda e não brancos de grupos de pessoas trans, jovens gays e profissionais do sexo.

Por último, Clarissa lembrou que a PrEP não é somente tomar as pílulas diariamente:

  1. É a testagem trimestral para HIV e IST;
  2. É a vacinação para hepatites;
  3. É o tratamento das IST;
  4. É a realização de exames para acompanhar a possibilidade de eventos adversos (função renal, função hepática);
  5. É empoderar os usuários sobre saúde sexual e reprodutiva.

Em 2019 haverá uma reconsideração da política de PrEP por parte da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias (Conitec) do Ministério da Saúde. Será importante se manifestar de modo a continuar e ampliar esta política, que junto ao Tratamento como Prevenção, a profilaxia pós-exposição (PEP), o uso de preservativos e a prevenção combinada em geral, forneceu quedas de novas infecções em alguns países do mundo.

Leia também
Edições anteriores
Boletim Vacinas e Novas Tecnologias de Prevenção Anti-HIV/AIDS - GIV

Edição 31
AGOSTO DE 2017

Clique para abrir o
Boletim Vacinas em PDF.

Abrir

Boletim Vacinas e Novas Tecnologias de Prevenção Anti-HIV/AIDS - GIV

Edição 30
DEZEMBRO DE 2016

Clique para abrir o
Boletim Vacinas em PDF.

Abrir

Boletim Vacinas e Novas Tecnologias de Prevenção Anti-HIV/AIDS - GIV

Edição 29
NOVEMBRO DE 2014

Clique para abrir o
Boletim Vacinas em PDF.

Abrir

Boletim Vacinas e Novas Tecnologias de Prevenção Anti-HIV/AIDS - GIV

Edição 28
SETEMBRO DE 2013

Clique para abrir o
Boletim Vacinas em PDF.

Abrir

Boletim Vacinas e Novas Tecnologias de Prevenção Anti-HIV/AIDS - GIV

Edição 27
SETEMBRO DE 2012

Clique para abrir o
Boletim Vacinas em PDF.

Abrir