Notícias

AIDS IMPEDE IGUALDADE FEMININA

28/02/2005 - Reuters

Juntamente com o tráfico sexual, diz Kofi Annan da ONU

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas, Kofi Annan, alertou na segunda-feira, numa conferência sobre os direitos da mulher, que o tráfico sexual e o crescimento da Aids estão atrapalhando a luta pela igualdade feminina.
Falando na abertura de uma conferência de duas semanas sobre os direitos da mulher, Annan disse que muitos governos já reconheceram, desde a histórica cúpula de Pequim em 1995, que a igualdade feminina é um ponto essencial para o desenvolvimento de um país.
A conferência da ONU conta com delegações de pelo menos cem países, além de 80 ministros e 6.000 ativistas. Ela está analisando os avanços e os retrocessos desde a 4a Conferência Mundial sobre a Mulher, em 1995.
Em vez de produzir um documento longo, os organizadores decidiram redigir uma declaração curta que reafirma e promete a implementação do plano de ação de 150 páginas elaborado em Pequim.
Mas, para desgosto dos principais delegados, os Estados Unidos submeteram emendas ao texto numa sessão de negociação na sexta-feira, declarando que a conferência de Pequim não criou "novos direitos humanos internacionais" e que não incluiu o direito ao aborto.
Em Pequim, o aborto era tratado como uma questão de saúde. A plataforma estabeleceu que ele deve ser realizado com segurança onde for legal, e que não deve haver ação criminal contra as mulheres que se submeterem ao procedimento.
As negociações sobre o documento atual vão prosseguir durante o transcorrer da conferência, que terá pelo menos 200 eventos em seus 14 dias.
Em seu discurso, Annan disse que a expectativa de vida cresceu na última década, as taxas de natalidade estão caindo, mais mulheres estão trabalhando e mais meninas estão indo à escola.
Mas surgiram novos desafios. "Considerem o tráfico de mulheres e crianças... uma prática odiosa mas cada vez mais comum. Ou o crescimento assustador do HIV/Aids entre mulheres, especialmente mulheres jovens," disse Annan.
Segundo números da ONU, mais de metade das novas infecções por HIV ocorre entre jovens entre 15 e 24 anos, e as taxas de infecção entre meninas de 15 a 19 anos são cinco vezes maiores que a de garotos da mesma idade.
Quanto ao tráfico sexual, pelo menos 700 mil pessoas, a maioria mulheres e crianças, atravessam fronteiras no mundo todo, com garotas de até 13 anos virando "noivas por correspondência."
Annan propôs "investimentos" nas mulheres para a próxima década: educação secundária que permita às garotas ter opções, como recusar casamentos forçados. E ele disse que as mulheres precisam de direitos sexuais e reprodutivos para evitar que 500 mil morram por ano por doenças evitáveis relacionadas à gravidez.
A conferência de Pequim foi histórica por dizer que a mulher tem o direito de decidir quantos filhos quer ter, além de outras coisas referentes à sexualidade. Também preconizou a educação sexual para adolescentes.